Seu navegador não suporta java script, alguns recursos estarão limitados. CNMP, em parceria com Ministério Público de Minas Gerais e Instituto Inhotim, lança o projeto Ser do Cerrado - Conselho Nacional do Ministério Público
Meio ambiente
Publicado em 7/12/21, às 19h08.

foto ser cerradoO Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP), em parceria com o Ministério Público do Estado de Minas Gerais (MP/MG) e com o Instituto Inhotim, lançou, nesta terça-feira, 7 de dezembro, na cidade mineira de Brumadinho, o projeto Ser do Cerrado. O lançamento ocorreu durante o evento Inhotim ESG Summit, que recebeu representantes dos setores público e privado.

O projeto envolve educação ambiental e conservação de plantas e animais silvestres, sobretudo de espécies nativas, em especial do Cerrado, que é prioridade em termos de conservação. A iniciativa objetiva contribuir com a proteção da biodiversidade, a promoção da sustentabilidade e a sensibilização ambiental de públicos diversos para a importância dos serviços ecossistêmicos prestados por flora e fauna. 

A Comissão de Meio Ambiente (CMA) do CNMP é presidida pelo conselheiro Engels Muniz que transmitiu aos participantes do evento a mensagem da relevância da integração entre os diversos atores da área de proteção do meio ambiente, pois, para aperfeiçoar a tutela nessa área, é necessária uma atuação colaborativa e coordenada entre entidades e instituições das esferas públicas e privadas. 

A membro auxiliar Tarcila Gomes destacou que “Já há algum tempo a preservação do Cerrado tem se mostrado um grande desafio e, por isso, é fundamental a iniciativa deste evento para que possamos debater métodos, práticas e ações que nos permitam ter sucesso na proteção desse bioma”.

Ressaltou que o Cerrado ocupa 22% do território brasileiro e, com aproximadamente 65 milhões de anos, é o mais antigo bioma do País. Nele, existe uma rica diversidade vegetal e animal, além de ser uma área de ligação entre os diversos outros biomas como a Amazônia, a Mata Atlântica, o Pantanal e a Caatinga. 

“O Cerrado é também vital para o equilíbrio hidrológico do Brasil. A flora do bioma, através de suas raízes, permite que um grande volume das águas pluviais desça para os aquíferos subterrâneos. Essa característica tornou o subsolo da região, ao longo dos séculos, rico em água e transformou o bioma em uma espécie de ‘caixa d’água’ do Brasil”, disse. 

Existem grandes reservatórios subterrâneos no Cerrado, dos quais se destaca parte do Aquífero Guarani. Nascem no bioma oito dos maiores rios do Brasil a exemplo dos rios Araguaia, Tocantins, São Francisco, Paraguai, Parnaíba, Gurupi, Jequitinhonha e Paraná. 

“Diante de tantas qualidades, não se pode fechar os olhos para uma triste realidade de rápida destruição da biodiversidade nessa região. É incontestável que a ausência de proteção adequada deste bioma terá graves repercussões, muitas vezes irreversíveis, para as gerações que estão por vir. E, por isso, cabe ao Ministério Público se aprimorar cada vez mais para dar eficácia ao papel Constitucional de ‘defesa da ordem jurídica, do regime democrático e dos interesses sociais e individuais indisponíveis’”, concluiu Tarcila Gomes.

Foto: CMA/CNMP 

Secretaria de Comunicação Social
Conselho Nacional do Ministério Público
Fone: (61) 3315-9424
jornalismo@cnmp.mp.br 
Twitter: cnmp_oficial
Facebook: cnmpoficial