Seu navegador não suporta java script, alguns recursos estarão limitados. Inqueritômetro 3.0 - Conselho Nacional do Ministério Público
Publicado em 4/10/12, às 10h32.

CNMP aperfeiçoa ferramenta que monitora inquéritos antigos de homicídios

InqueritometroJá está no ar, no site do Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP), o Inqueritômetro 3.0: uma nova versão da ferramenta que permite o acompanhamento da conclusão de inquéritos antigos de homicídio no Brasil. O sistema, que agora possibilita mais agilidade na atualização dos dados, foi criado para monitorar o andamento da Meta 2 da Estratégia Nacional de Justiça e Segurança Pública (Enasp).

A Meta 2 tem como objetivo finalizar todos os inquéritos de homicídio instaurados no país até o dia 31 de dezembro de 2007. A partir de abril, a meta foi ampliada, passando a incluir também a conclusão das investigações iniciadas até o fim de 2008. O Inqueritômetro traz dados nacionais e por estado sobre o total de inquéritos iniciais, quantos foram concluídos - seja com oferecimento de denúncia ou arquivamento - e quantos têm diligências pendentes.

Na nova versão, que recebeu o nome de 3.0, ficou mais simples e rápido inserir os dados, tarefa realizada pelos gestores da meta em cada estado. Isso porque os dois sistemas usados até então, um para inclusão e outro para visualização da informações, foram unificados. “E o mais importante: antes, só era possível incluir informações referentes ao mês anterior. Agora também é possível colocar dados do mês corrente, o que vai dar mais agilidade à atualização”, informou a promotora de Justiça e membro-auxiliar do CNMP, Ana Rita nascimento.

A apresentação visual da ferramenta também foi modificada. As cores e formas do cabeçalho estão mais modernas, seguindo padrão dos outros sistemas desenvolvidos pelo Conselho. “Além de mais ágil, o inqueritômetro está mais bonito”, complementou Ana Rita Nascimento.

Na atualização anterior, já haviam sido incluídas mais opções de gráficos, números percentuais referentes ao trabalho de cada unidade da federação e um ranking dos estados em relação ao cumprimento da meta.

Para a conselheira Taís Ferraz, coordenadora do Grupo de Persecução Penal da Enasp, a ferramenta está em constante processo de mudança. “Estamos agregando valor ao sistema original, desenvolvido pelo Ministério Público de Rondônia em parceria com o CNMP", explicou.

Enasp

A Estratégia Nacional de Justiça e Segurança Pública (Enasp) foi criada para promover a articulação dos órgãos responsáveis pela segurança pública, reunir e coordenar as ações de combate à violência e traçar políticas nacionais na área. Lançada em fevereiro de 2010, a iniciativa é resultado da parceria entre o Conselho Nacionais do Ministério Público (CNMP), o Conselho Nacional de Justiça (CNJ) e o Ministério da Justiça (MJ).

Cada um dos parceiros coordena uma ação integrada no âmbito da Enasp. O CNJ trabalha para erradicar as prisões em delegacias. O Ministério da Justiça atua na criação de um cadastro nacional de mandados de prisão. O CNMP implementa ações para agilizar e dar maior efetividade à investigação, à denúncia e ao julgamento dos crimes homicídio. Para atingir esse objetivo, a ENASP definiu metas específicas, revistas durante do Encontro Nacional da Enasp, em dezembro de 2010, e que estão em execução.

Conselho Nacional do Ministério Público

Assessoria de Comunicação Social

(61) 33669124

Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

twitter: cnmp_oficial

facebook: cnmpoficial

Secretaria de Comunicação Social
Conselho Nacional do Ministério Público
Fone: (61) 3315-9424
jornalismo@cnmp.mp.br 
Twitter: cnmp_oficial
Facebook: cnmpoficial