Seu navegador não suporta java script, alguns recursos estarão limitados. CNMP realiza 1º encontro do projeto Rede Autocompositiva  - Conselho Nacional do Ministério Público
Capacitação
Publicado em 7/4/22, às 17h27.

06 04 22 edilioO Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP), por meio da Unidade Nacional de Capacitação do Ministério (UNCMP), realizou nessa quarta-feira, 6 de abril, o 1º encontro do projeto Rede Autocompositiva. O evento ocorreu no Plenário do CNMP, em Brasília, e foi transmitido ao vivo pelo canal da instituição no YouTube.

O objetivo do encontro foi proporcionar a troca de experiências sobre a estruturação e os trabalhos realizados entre os núcleos permanentes de incentivo à autocomposição dos Ministérios Públicos. Na ocasião, foram apresentadas iniciativas dos núcleos de incentivo à autocomposição do Ministério Público Estadual do Rio Grande do Sul (MP/RS), conhecido como “Mediar”, e do Ministério Público Estadual do Paraná (MP/PR), denominado “Nupia”.

Durante a abertura, o vice-presidente da UNCMP e presidente do Comitê Permanente Nacional de Fomento à Atuação Resolutiva (Conafar), conselheiro Antônio Edílio Magalhães (foto), destacou que é “uma satisfação ver o Ministério Público se movimentando em torno da busca da eficiência, pois quando se fala em autocomposição e em resolutividade é porque se preocupa com entrega de resultados. Além disso, se estamos pensando num Ministério Público para o futuro, precisamos trabalhar fortemente a questão da autocomposição”.

O conselheiro complementou que o evento dessa quarta-feira “tem uma interação muito forte com o Conafar, porque não podemos falar em resolutividade sem pensarmos em autocomposição. Não se resolvem mais os problemas, hoje, simplesmente com ações de autoridade ou impositivas. É preciso que se compreendam os problemas em sua essência, em seu contexto mais amplo e que se deem encaminhamentos no sentido de uma solução efetiva”.

Na sequência, o procurador da República no Ceará Alessander Alves, um dos 12 integrantes do Conafar, afirmou que “um dos vetores mais importantes para se desenvolver a política de atuação resolutiva no Ministério Público é a autocomposição. E concretizá-la exige normatização adequada e capacitação dos membros e servidores da instituição, o que deverá ser feito por meio de esforços entre o Conafar e a UNCMP”.

Mediar 
A primeira apresentação do evento foi sobre o Núcleo de incentivo à autocomposição do Ministério Público Estadual do Rio Grande do Sul (MP/RS), conhecido como “Mediar”.

Na ocasião, o promotor de Justiça e coordenador administrativo do “Mediar”, Ricardo Rodrigues, abordou a base normativa que instituiu o núcleo. Além disso, o membro do MP/RS realçou a importância de os núcleos fazerem parcerias com os centros de estudos e aperfeiçoamentos funcionais, com os centros de apoios operacionais e com as corregedorias dos MPs. “Essas parcerias são fundamentais para a realização de um trabalho seguro e de pacificação interna das matérias”.

Por sua vez, a promotora de Justiça e secretária executiva do “Mediar”, Ivana Kist, relatou as estratégias e os trabalhos realizados pelo núcleo num procedimento instaurado para investigar a ocorrência de fraude em licitações para a contratação de empresa de manutenção de ambulâncias e de máquinas pesadas no município de Panambi, norte do Rio Grande do Sul.

A promotora explicou que, para solucionar o caso de forma resolutiva, foram celebrados dois acordos de não persecução penal e dois de não persecução cível. Entre os resultados, houve a destinação de equipamentos para a delegacia de polícia local e a doação do valor da multa civil ao município, além da inserção de cláusulas de compliance e do comprometimento do município em criar mecanismos de probidade nas licitações sequentes, inclusive com a fixação de prazo para que fossem regulamentados os casos de serviços necessários para a frota de serviços pesados.

Por fim, o procurador de Justiça e coordenador técnico do “Mediar”, Paulo Moraes, mencionou os três pilares do roteiro de trabalho relativo aos procedimentos que tramitam no núcleo: essência da negociação na investigação, bom planejamento e comunicação verbal e não verbal.

Moraes destacou, ainda, o número de sessões e reuniões realizadas pelo núcleo: 767, assim distribuídas: 32 (2016); 76 (2017); 46 (2018); 129 (2019); 213 (2020); 223 (2021); e 48 (2022).

Nupia
Na segunda apresentação do encontro, a procuradora de Justiça e coordenadora do Núcleo de incentivo à autocomposição do Ministério Público Estadual do Paraná (MP/PR), denominado “Nupia”, Samia Saad, falou sobre a estruturação do núcleo, instituído em 2018, e abordou normas do CNMP sobre autocomposição e atuação resolutiva, como a Resolução nº 118/2014 e a Recomendação nº 54/2017.

Já o promotor de Justiça e integrante do “Nupia” Willian Lira salientou que o núcleo é alicerçado em quatro diretrizes: incentivo às práticas de autocomposição por meio do desenvolvimento colaborativo, fomento à cultura do diálogo interno, formação continuada e intercâmbio de experiências.

Lira chamou a atenção para a participação do “Nupia” em curso de especialização voltado a promotores de Justiça substitutos. A programação inclui aulas de autocomposição, negociação integrativa, justiça restaurativa e cultura do diálogo.

As apresentações alcançaram 485 visualizações no YouTube nas primeiras horas de transmissão.

Segunda parte 
A segunda parte do evento, por meio da plataforma Teams, foi destinada a discussões internas e restrita aos membros e servidores inscritos, contando com 143 participantes e um representante do Núcleo de Autocomposição de cada Ministério Público. 

Veja aqui a íntegra da parte da manhã 

Acesse aqui as fotos do evento  

Matéria relacionada 
Unidade Nacional de Capacitação do Ministério Público promove 1º encontro do projeto Rede Autocompositiva 

Secretaria de Comunicação Social
Conselho Nacional do Ministério Público
Fone: (61) 3315-9424
jornalismo@cnmp.mp.br 
Twitter: cnmp_oficial
Facebook: cnmpoficial