Seu navegador não suporta java script, alguns recursos estarão limitados. CNMP decide que não há sigilo automático de decisões proferidas em procedimentos disciplinares - Conselho Nacional do Ministério Público
Publicado em 30/4/10, às 17h34.

O Plenário do Conselho Nacional do Ministério Público deferiu pedido formulado em procedimento de controle administrativo para garantir a interessado acesso aos autos de procedimento disciplinar instaurado no âmbito do MP/SP, bem como às razões para seu arquivamento. Aberto a partir de reclamação formulada pelo requerente, que é procurador regional eleitoral em São Paulo, o procedimento foi arquivado pelo corregedor-geral do MP/SP, que negou a ele acesso aos autos, alegando sigilo. Para os conselheiros, no entanto, não há sigilo automático das decisões proferidas em feitos disciplinares, devendo ser observada a regra geral da publicidade, prevista nos arts. 5º, inc. XXXIII, 37 e 93, incs. IX e X, da Constituição Federal.

A Corregedoria do MP/SP terá prazo de 5 dias para enviar ao requerente cópia completa dos autos do procedimento e das razões para o arquivamento. O relator original do processo (PCA n. 1493/2009-41) foi o conselheiro Achiles Siquara e o PCA estava com o conselheiro Mario Bonsaglia para voto vista. O julgamento aconteceu na sessão de terça-feira, dia 27 de abril.

 

 

Assessoria de Comunicação
Conselho Nacional do Ministério Público
Fone: (61) 3366-9105/9137 ou 92930725
Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

 

Siga o CNMP no Twitter: twitter.com/conselhodomp

Secretaria de Comunicação Social
Conselho Nacional do Ministério Público
Fone: (61) 3315-9424
jornalismo@cnmp.mp.br 
Twitter: cnmp_oficial
Facebook: cnmpoficial