Seu navegador não suporta java script, alguns recursos estarão limitados. Proposta de resolução conjunta com o CNJ pretende normatizar revisão periódica do sistema carcerário - Conselho Nacional do Ministério Público
Publicado em 15/9/9, às 20h40.

A conselheira Taís Ferraz apresentou ao Plenário nesta terça-feira, 15 de setembro, proposta de resolução conjunta entre o Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP) e o Conselho Nacional de Justiça (CNJ).

Pela proposta, as unidades do Poder Judiciário e do Ministério Público com competência em matéria criminal e de execução penal deverão implementar mecanismos que permitam, com periodicidade mínima anual, a revisão da legalidade da manutenção das prisões provisórias e definitivas, das medidas de segurança e das internações de adolescentes em conflito com a lei.

Segundo a conselheira, informações colhidas por Comissão Temporária do CNMP indicam a necessidade de se estabelecer controles mais efetivos e integrados da execução das medidas que importem em restrição da liberdade. Além disso, dados revelados nos mutirões carcerários realizados pelo CNJ até o momento registram que cerca de 20% da população carcerária encontra-se presa indevidamente.

"É preciso rever procedimentos, criar mecanismos de controle, estimular a criatividade e a proatividade de todos aqueles que atuam na seara do processo criminal e, principalmente, reconhecer que a situação é gravíssima e de responsabilidade de todas as instituições que compõem o sistema de Justiça", disse Taís Ferraz.

A mesma proposta de resolução conjunta também tramita atualmente no CNJ.

Convênio - Também na sessão desta terça-feira, os conselheiros aprovaram a assinatura de um termo de cooperação técnica com o CNJ, a fim estabelecer, entre os dois Conselhos, ações coordenadas que deem maior agilidade na análise de processos que envolvam adolescentes em conflito com a lei, em cumprimento de medidas socioeducativas e em internação provisória.

O convênio, que prevê a realização de mutirões, busca diminuir o registro de casos de desrespeito aos direitos fundamentais da criança e do adolescente.

Ainda não há data definida para a assinatura do acordo pelos presidentes do CNMP e do CNJ.

Assessoria de Comunicação

(61) 3366-9137 / 3366-9136

Secretaria de Comunicação Social
Conselho Nacional do Ministério Público
Fone: (61) 3315-9424
jornalismo@cnmp.mp.br 
Twitter: cnmp_oficial
Facebook: cnmpoficial